Gunung Batur – Bali, Indonesia

DSC_5152

A viagem por Bali começou com um destino bem diferente do que vem à mente quando se fala da ilha. Assim que chegamos em Denpasar, a primeira missão foi encontrar um taxi disposto a nos levar para a região do monte Batur, que apesar de estar à apenas 75Km do aeroporto é considerado distante para os balineses. Após muita negociação encontramos quem seria o nosso guia e motorista em Bali, o simpático Gede. Chegando em nossos hotéis negociamos o tour pelo qual decidimos ir até a região: a subida à cratera do vulcão Batur, o mais ativo de Bali. A ultima atividade registrada aconteceu em 2000! A aventura começou após menos de 4 horas de sono às 4:30. Após a reunião do grupo iniciamos a subida que totalizou 750 metros, atingindo a altitude de 1717m em relação ao nível do mar. O motivo da saída tão cedo foi para vermos a nascer do Sol a partir do topo. Após este espetáculo comemos o café-da-manhã preparado no vapor do próprio vulcão com bananas assadas, ovos cozidos, café e chá. Depois de algum tempo de contemplação e descanso iniciamos a descida pelo outro lado até a vila onde iniciamos o passeio. Na foto, a vista ainda do alto das várias crateras formadas ao longo dos séculos. A linha de montanhas mais ao fundo é a cratera principal que acomoda todas as outras montanhas, o vilarejo e um lago.

No caso de estar indo para Bali, segue o contato do nosso motorista e guia por lá:
Gede Novi: +62 822.3749.3656

Anúncios

Marina Bay Sands – Singapura

DSC_4968

Singapura é uma cidade-estado com um elevadíssimo nível de justiça social. Nas últimas décadas o governo vem adiquirindo o título das terras como forma de controle sobre a especulação imobiliária, reduzindo assim uma das ferramentas mais perversas do sistema capitalista. Essa estratégia permitiu ao país atingir um bom nível de igualdade social, tornando-o referência neste campo. O país é bem rico e possui um nível impressionante de infra-estrutura urbana. Na foto, o famoso hotel de luxo Marina Bay Sands e parte do show de luzes que acontece aos finais de semana na baía.

Chocolate Hills – Bohol, Filipinas

DSC_4767

A primeira viagem internacional a partir da Austrália foi nas férias de Julho e começou pelas Filipinas. Não cheguei a conhecer os principais destinos por conta do tempo que separei para cada país e pelo fato de ter comprado uma passagem para um aeroporto distante da área mais famosa. Por este motivo o jeito foi explorar uma região não tão turística mas ainda assim muito bonita. Alguns meses depois de nossa passagem por Bohol, a ilha foi atingida por um forte terremoto que matou várias pessoas e destruiu muitas construções e vias. O local da foto por exemplo, Chocolate Hills, sofreu grande impacto e o cenário foi parcialmente destruído, como pode ser visto neste link.

Harbour Bridge Pylon Lookout – Sydney, Australia

DSC_0464

Como a idéia das primeiras fotos desse blog é para compor uma ordem cronológica dos países que conheci, algumas cidades ficaram de fora por enquanto. Barcelona, Ibiza, Madrid, Florença e Roma são exemplos dessa situação uma vez que já postei fotos dos seus países. Nessa lógica, hoje é dia da Austrália, meu terceiro país de residência e o décimo quarto no geral. No tempo que morei por lá (14 meses) dei preferência para conhecer outros países ao invés de viajar por lá. Sendo assim, além de Sydney só conheci boa parte da costa leste, Canberra e Melbourne. Todo o resto da cangurulândia ficou para quem sabe uma próxima… Na foto, a vista do CBD a partir do Pylon Lookout, que fica em uma das torres da Harbour Bridge.

Procuratie Vecchie – Veneza, Itália

DSC_7618

A Itália é uma aula de história à céu aberto, e Veneza não fica atrás neste quesito. O charme dos canais venezianos e das construções às suas margens é algo cinematográfico. A cada esquina é possível encontrar uma construção, uma loja ou um restaurante espetacular. Excluindo o fato da alta quantidade de turistas, o que prejudica a percepção do espaço, não tenho críticas à Veneza. Muitos falam do mau cheiro dos canais da cidade, mas talvez por sorte nem isso que poderia depor contra a cidade foi percebido por nós. Na foto, a Procuratie Vecchie na praça São Marcos.

Petřínská Rozhledna – Praga, República Tcheca

DSC_7490

Praga é uma cidade incrível e com bastante história ao longo de suas ruas. Bem como outras cidades do leste europeu seu custo de vida é relativamente baixo, o que faz a alegria de viajantes! É fácil tomar um café da manhã por valores abaixo de de 5 euros por exemplo. A moeda extremamente desvalorizada frente ao euro pode ser um perigo também, pois como tudo parece, e na maioria das vezes é muito barato faz com o dinheiro saia da carteira num ritmo mais acelerado do que em cidades mais caras. Na foto, a vista da torre de observação Petřín, localizada no monte de mesmo nome.

Jüdisches Museum – Berlim, Alemanha

DSC_7375

A próxima parada da viagem de Julho de 2012 foi Berlin. Infelizmente pegamos um tempo não muito bom e até umas fortes pancadas de chuva durante o dia. Por conta disto ficamos presos em alguns lugares até a chuva passar. A primeira parada do primeiro dia foi o Museu Judaico, projeto do arquiteto Daniel Libeskind e um dos principais motivos que me fizeram ir para Berlin. Esse é um projeto muito emblemático para mim por uma série de fatores, e por isso é um dos projetos institucionais que mais gosto. Na foto, uma das aberturas verticais para a entrada de luz natural do museu.